Acessibilidade: A A

As atividades acadêmicas são desenvolvidas em diversos ambientes: salas de aula, salas de reuniões, laboratórios do Programa de Pós Graduação Stricto Sensu em Educação Física, biblioteca, laboratório de informática e vários espaços comuns do Campus Mooca, como o amplo Hall do térreo e os auditórios, ambientes utilizados principalmente durante os eventos realizados pelo Programa. A infraestrutura existente e disponível de auditórios, salas e recursos audiovisuais permite que vários eventos sejam organizados pelos Programas de maneira sistemática, sempre abertos a toda comunidade acadêmica, interna e externa. São eventos de âmbitos regional, nacional e internacional.

Os estudos vinculados aos projetos desenvolvidos pelo Programa em suas diversas áreas são realizados nos laboratórios que recebem constante atenção por parte da instituição, seja no sentido de financiar a manutenção e a ampliação da infraestrutura necessária, seja em temos de instalações ou de equipamentos e material de consumo.

Nesse espaço são realizadas pesquisas em seres humanos, nas sub-áreas fisiologia, bioquímica e nutrição, aplicadas ao exercício. Essa estrutura é fundamental na execução de projetos que envolvem a mensuração de variáveis relacionadas com:

(1) medidas antropométricas – massa corporal, estatura, diâmetros ósseos, circunferências, e espessura de dobras cutâneas;

(2) Avaliação aeróbia – potência aeróbia (VO2máx, VO2pico) e capacidade aeróbia (velocidade crítica, máxima fase estável de lactato sanguíneo, limiar de lactato e limiar ventilatório) para exercícios em esteira, em situação de campo e cicloergômetro;

(3) Estimativa do gasto e da contribuição energética, aeróbia e anaeróbia em diferentes atividades.

Aqui são realizadas pesquisas em modelos animais de pequeno porte (ratos e camundongos) nas sub-áreas da fisiologia, bioquímica, nutrição e anatomia aplicadas ao exercício. Os modelos experimentais têm sido utilizados para avaliação dos efeitos do exercício físico agudo e crônico em parâmetros hemodinâmicos, autonômicos, nutricionais, imunológicos e metabólicos em situações fisiológicas e fisiopatológicas.

O laboratório processa amostras para diagnóstico histopatológico de materiais de pesquisa ligados aos estudos dos discentes do Programa, assim como de alunos de IC. Investiga, através das técnicas de histoquímica e imunohistoquímica, tipagem de fibras musculares, marcadores inflamatórios, ECA e Angiotensina II, stress oxidativo, metaloproteinase 2 e 9, entre outros marcadores.

Esse laboratório se propõe a estudar os aspectos biomecânicos do movimento humano e que podem ser subdivididos em cinco grande sub-áreas, em função dos métodos biomecânicos: a) cinemetria – análise de variáveis cinemáticas do movimento humano; b) dinamometria – análise de variáveis cinéticas do movimento humano; c) antropometria – análise de modelos corporais para determinação de momentos de inércia segmentares; d) eletromiografia – análise da atividade elétrica associada à contração muscular; e) e mecânica muscular – análise de características mecânicas do tecido muscular. Os professores do PGEDF realizam projetos em conjunto com docentes do curso de Fisioterapia da USJT, egressos do doutorado.

Nele são desenvolvidas as pesquisas relacionadas, principalmente, à vertente sociocultural do Programa, representando importante espaço de integração entre discentes e docentes.  O laboratório se estrutura em sub-áreas de investigação, sendo:

a) Projeto Sênior – como esse projeto é a linha mestra de vários estudos em desenvolvimento na linha de pesquisa Promoção e Prevenção em Saúde, os graduandos e pós-graduandos nele envolvidos desenvolvem seus estudos e discussões, juntamente com seus orientadores;

b) Estudos em EF e Pessoas com Deficiência – reúne no espaço o grupo de estudo (Grupo de Estudos em Educação Física e Pessoas com Deficiência) para desenvolver projetos e estudos no campo da Inclusão escolar, Formação de professores e Esporte adaptado e paralímpico, das LP Estudos Socioculturais e Pedagógicos da EF e Fenômeno Esportivo, respectivamente;

c) Estudos e pesquisas vinculados à linha Estudos Socioculturais e Pedagógicos da EF sobre Educação Física, Escola e Currículo, reunindo docentes do PGEDF, professores-pesquisadores da rede pública e privada de ensino, discentes do Programa, bem como graduandos e futuros mestrandos.

d) Estudos em Psicologia do Esporte e da Atividade Física, vinculados à linha Fenômeno Esportivo. O grupo de estudos tem desenvolvido uma serie de pesquisas sobre aspectos psicológicos relacionados à atividade física e ao esporte olímpico e paraolímpico.

e) Estudos e pesquisas sobre Motivação e Desempenho Humano, desenvolvendo estudos e pesquisas na temática em diferentes áreas de investigação e intervenção, como esporte, exercício, atividade física, gestão e educação.

Esse espaço é dedicado à pesquisa básica da USJT e foi idealizado com intuito de aproximar pesquisadores e aumentar as características multidisciplinares dos estudos, com metodologias de áreas básicas como: Histologia, Imunologia, Microbiologia e Biologia Molecular.

Tendo como premissa o enfoque translacional na compreensão dos condicionantes relacionadas a saúde e doenças, bem como discussões dos processos fisiológico, histológico e molecular, as investigações realizadas neste laboratório permitem a integração e transferência de conhecimentos relacionados ao diagnóstico e às estratégias de tratamento das doenças crônicas degenerativas e do desempenho humano. Dessa forma, o trabalho desenvolvido nesse laboratório é sustentado por pesquisas básicas e aplicadas, utilizando diferentes modelos de experimentação e análises, na área da fisiologia aplicada ao exercício, direcionando seu foco para a área da biodinâmica do exercício aplicado ao esporte, à saúde e ao desempenho humano, bem como no âmbito da AF e saúde.

O Biotério da USJT conta com uma área de 110m2, onde são mantidos camundongos geneticamente modificados para o receptor LDL-colesterol, bem como ratos geneticamente hipertensos, além de modelos induzidos de ratos hiperglicêmicos e Parkinson para as pesquisas da LP Atividade Física e Disfunções Orgânicas. Todos os experimentos que necessitam de animais de pequeno e médio porte utilizam os animais do biotério, sendo realizados tanto estudos de células e tecidos em condições fisiológicas ou patológicas, quanto modelos experimentais de intervenção farmacológica ou física.

Nesse laboratório são realizadas pesquisas das áreas de fisiologia, bioquímica e nutrição aplicada ao exercício físico. É importante destacar que os projetos da LP Atividade Física e Disfunções  Orgânicas que envolvem reabilitação cardiovascular são em, sua maioria, realizados nessa estrutura. Além disso, é um laboratório constantemente usado para avaliações ergoespirométricas de idosos participantes do Projeto Sênior para a Vida Ativa, tanto em pesquisas desenvolvidas no nosso Programa, quanto no Mestrado em Ciências do Envelhecimento. Este laboratório representa ainda um importante espaço de diagnóstico e tratamento da comunidade da Mooca por atender gratuitamente pacientes portadores de doenças cardiovasculares e respiratórias.

Para o desenvolvimento de estudos e projetos de pesquisa na linha Atividade Física e Disfunções Orgânicas, há ainda a possibilidade de utilização dos laboratórios de ensino compartilhados por diferentes disciplinas básicas de cursos da área da saúde da Universidade. São utilizados preferencialmente no período vespertino, pois as atividades de graduação concentram-se nos períodos matutino e noturno, ficando assim com boa disponibilidade de tempo para os pesquisadores e discentes do Programa. Em seus estudos, os docentes do PGEDF frequentemente utilizam os laboratórios de HISTOLOGIA, BIOLOGIA MOLECULAR e ANÁLISES CLÍNICAS, bem como as salas de apoio contíguas, que preparam os equipamentos e insumos envolvidos nos experimentos. Os espaços desses laboratórios são adequados ao uso de diferentes usos e necessidades, bem como possibilitam o acesso de pessoas com dificuldades de locomoção.

Em determinados estudos podem ser necessários equipamentos que nossos laboratórios ainda não dispõem, mas que são utilizados em laboratórios de IES parceiras:

  • Lab. De Hipertensão Experimental – Incor-Fmusp

Nele são realizadas coleta de dados relacionados ao sistema nervoso autônomo, tanto na pesquisa básica quanto na pesquisa clínica como ecocardiograma dos animais, cirurgias de canulação, registro de pressão arterial.

  • Lab. De Fisiologia Do Exercício – Unifesp

Docentes e discentes do Programa de Pós Graduação Stricto Sensu em Educação Física realizam análises de marcadores inflamatórios e estresse oxidativo, de tecidos/sangue dos projetos em humanos e animais.

  • Lab. De Treinamento De Força – Eefeusp

Nesse laboratório são desenvolvidos projetos em parceria dos alunos da EEFEUSP e da USJT. No laboratório são coletados dados de variáveis fisiológicas e biomecânicas.

  • Instituto De Pesquisa – Hospital Albert Einstein

Nessa parceria são desenvolvidos projetos na área de fisiologia vascular, com medidas de fluxo sanguíneo, dilatação fluxo mediada (FMD) e função endotelial.

O instituto de pesquisa do Einstein forneceu por empréstimo o equipamento de Ultrassom com doppler que está na USJT para coletas necessárias.

  • Centro De Diagnóstico De Medicina Preventiva – Hospital A. Einstein

Nesse centro são realizados avaliações e diagnostico de aspectos metabólicos e do câncer dos estudos em parceria, envolvendo os laboratórios de nutrição e nutrologia, de análises bioquímicas com a avaliação do perfil hormonal sérico; de radiologia na avaliação das imagens de ultrassom, RX e ressonância magnética.

  • Labs De Microscopia, Histologia E Morfologia – I. Biociências – Unesp-Rc

Docentes e Pós Doc do PGEDF estudam mudanças estruturais e ultra-estruturais do sistema neuromuscular em face ao treinamento resistido com modelos experimentais. Esses laboratórios têm fornecido, além dos equipamentos e mão-de-obra qualificada aos projetos em parceria.

Receba a nossa Newsletter

    .